Share Facebook Share Twitter
museus e património cultural da área metropolitana do porto

Pin - Área Metropolitana do Porto

A 75 metros de altura não é difícil imaginar que a Torre terá sido de boa serventia às caravelas que, carregadas de especiarias da Índia, procuravam orientação para a barra do Douro. Também ajudava os comerciantes a saber quando chegava o “vapor da mala real”. Uma embarcação que trazia de Londres dinheiro e letras de câmbio para pagar os produtos que tinham sido exportados para Inglaterra. Assim que “o vapor da mala real” entrava no Douro, a Associação Comercial lançava balões do alto da Torre e os comerciantes mandavam os empregados aos correios recolher, o mais depressa possível, o dinheiro que vinha de Londres. Há que virar costas ao esplendor da cidade e começar a descer. Os seis andares. Ou 240 degraus até à entrada. O carrilhão, moderno, que está no terceiro andar, foi instalado já no século XX. Depois é só continuar a descer mais alguns degraus até entrar na Igreja.
No edifício dos Clérigos funcionou uma enfermaria. Resta uma pedra, sobre a porta da entrada, do andar superior. Diz, em latim: “Non te pigeat visitare infirmum” – Não deixes de visitar os doentes. A enfermaria tinha um cruxifixo, conhecido por Senhor dos Esquecidos da Salvação, que se encontra agora do lado direito do altar da Igreja. O retábulo, em que vai reparar logo a seguir, estilo rococó, é de autoria de Manuel dos Santos Porto. A entrada para a Capela de Nossa Senhora da Lapa também se faz pela Rua dos Clérigos. É lá que está uma pequena fonte de onde brotava a água utilizada na preparação dos defuntos. Foi uma Capela Mortuária. É de estilo barroco, rococó e foi restaurada em talha dourada por ocasião dos 250 anos da construção da Torre dos Clérigos.
É aqui, na Igreja dos Clérigos, que se encontram os restos mortais do arquiteto italiano Nicolau Nasoni, a grande figura do barroco portuense. Exatamente onde, não se sabe. Com diferentes fases de construção (a igreja ficou concluída em 1750, a enfermaria em 1758 e a torre em 1763) este conjunto arquitetónico materializa a definição da investigadora Natália Ferreira Alves do barroco: “é a arte dos contrastes onde dor e júbilo se misturam”, onde “a vida e a morte” se festejam e onde “magnificência e horror” se colocam lado a lado.



+ INFO

INFORMAÇÃO GERAL

FREGUESIA
Vitória

SUBCATEGORIA
Conjunto

CRONOLOGIA
Século XVIII

HORÁRIOS

ABERTURA AO PÚBLICO
Igreja - segunda a sábado: 8:45-12:30 e 15:30-19:00 | domingo: 10:00-13:00 e 20:30-22:30 | Torre - novembro a março, todos os dias: 10:00-12:00 e 14:00-17:00 | abril a outubro, todos os dias: 9:30-13:00 e 14:00-19:00 | agosto: 9:30-19:00

Para obter o seu roteiro no mapa, indique a sua posição clicando na seta à esquerda e de seguida seleccione o meio de transporte que deseja utilizar
Rua dos Clérigos, 4050-546 Porto • (+351) 222001729
http://www.portoturismo.ptVer arquivo DGPC
Gps 41.14567072 , -8.61456334
adicionar ao roteiro
x

#{text}