Share Facebook Share Twitter
museus e património cultural da área metropolitana do porto

Pin - Área Metropolitana do Porto

É imponente. A altura permitiu-lhe servir de “baliza aos mareantes” que queriam “aportar na praia do seu desembarque". Assim nos fala da torre uma descrição de 1868 (Archivo pittoresco. [S.l.]: Castro Irmão & C.ª, 1868. vol. XI).
No local onde a Igreja se encontra existiu primitivamente uma ermida para venerar o Senhor do Monte. O culto a Nossa Senhora das Dores remonta a 1768, ano em que foi colocada uma imagem sua na antiga capela. A adesão do povo justificou que se edificasse um templo próprio. Concluído no século XIX, o templo barroco distingue-se pelas seis capelas que circundam o corpo central de planta hexagonal, alusivas às dores da Virgem. A torre central que demarca o acesso à igreja, é testemunho agora visível da longa campanha de obras e discussão da resolução desta fachada. No interior, destacam-se o retábulo de talha e o conjunto de azulejos da capela-mor, em padrão "ponta de diamante" e figurativos.
O culto à Senhora das Dores atrai à Póvoa de Varzim, no terceiro domingo de setembro, um número impressionante de fiéis em cumprimento de promessas. Há pescadores vestidos com roupas usadas no mar, aquando de um naufrágio ou situação de perigo, e agricultores que vêm agradecer o ano agrícola e pedir boas colheitas para as safras. A peregrinação começa de manhã com os visitantes a percorrerem, em oração, as seis capelas, até chegarem à “Soledade”, a sétima dor de Nossa Senhora, representada no altar-mor.



+ INFO

INFORMAÇÃO GERAL

FREGUESIA
Póvoa de Varzim

SUBCATEGORIA
Igreja

CRONOLOGIA
Século XIX

ACESSO MOBILIDADE REDUZIDA
Mau

HORÁRIOS

ABERTURA AO PÚBLICO
Aberta todos os dias para o culto.

Para obter o seu roteiro no mapa, indique a sua posição clicando na seta à esquerda e de seguida seleccione o meio de transporte que deseja utilizar
Largo das Dores, Póvoa de Varzim • Ver arquivo DGPC
Gps 41.382292 , -8.758831
adicionar ao roteiro
x

#{text}